Penhor do Amor na Flor

FB_IMG_1572405793534

Na delicadeza da flor,
Na grandeza do amor,
Está a beleza do favor,
Está a graça imedida.

No branco da Flor
Eu canto o Amor
Que tanto calor no favor!
Que Santo tu és, Amado meu!

No pulsar do coração,
No amar além da emoção,
Quando entregaste vida,
Quando me deste ao Pai.

Outra vez, na Flor
O branco, o vermelho
No sangue o amor
Oh, que graça bendita!
Meu Amado, meu Senhor.

 

Catarina… 19 de setembro de 2019

Eu quero mesmo um amor bonito

Eu queria mesmo um amor bonito… Olhar nos olhos e ver amor. Mas eu olho e só vejo os outros. E ninguém me vê. Acordar do lado… Pegar a mão. Sorrir com cumplicidade. Amar ou detestar as mesmas coisas. Ser alguém na vida de alguém. Sonhar e caminhar juntos. Ter projetos interligados. Sorrir e compreender… Tempo juntos. Tempo longe. Saudades.
Cadê tu, meu querido? Tu também admiras as flores como eu? Tu te sentes em paz em meio ao belo e calmo da natureza? Tu olhas para o céu e conversas com Deus? Cantar ao Rei é o teu prazer? Amar o Rei… Sonhas com chegar no Céu e abraçar aquele que venceu por nós?
Eu queria que tu plantasses umas rosas para mim… Tu farias um jardim para nós? Para nos escondermos do mundo ali? Tu és belo como uma flor? Quem te vê, vê beleza em ti? És aprazível, oh amado meu? Falo já como a donzela de Salomão. Mas terei eu beleza para ti? Entre as flores, as roseiras, por exemplo, tu me verias bem?
Acho que eu sou boba, guri… Nem tem ninguém tão sonhador para sonhar essas loucuras assim comigo. E se eu te encontrar bem assim? Ai como vou tremer de nervosismo quando souber que és tu e tu souberes que sou eu. Quanto tempo depois nos casaremos será? Um ano? Menos? Mais? E depois de casados… Quanto tempo depois as crianças? Quantos dias na igreja? Quantos dias nas viagens? Quantos dias em casa? Em que lugares? Em que país nos estabeleceremos? Ah, acho que não existe mais boba do que eu!
Às vezes a vida parece tão bonita, apesar das dores, dos cansaços, das inverdades, dos enganos, dos fracassos, das frustrações… A vida é assim quando damos graças a Deus por tudo. Porque tudo nos levará mais perto de Cristo. Até essa nossa espera nos faz amar mais ao Deus invisível. Porque tenho fé nele… Confio que por ele, para ele e dele será o nosso encontro. Se é assim que ele quer… Que não sejamos mais tão juvenis. Que tenhamos mais marcas e cicatrizes. Mais experiências, mais encontros e desencontros. Mais abraços verdadeiramente humanos. Mais amor pelo nosso vizinho simpático ou antipático.  Oh, como espero a ti! 😉❤
Em Deus, que chama as coisas que não são  são, como se já fossem… Tua bela amiga e logo esposa.
02 de outubro de 2019

Carta para ti… Sim, para ti

Carta para ti… Sim, para ti.
Queria escrever com tinta de caneta e papel, mas vou escrever aqui para render mais. Meu amor, estou aqui… Sim, estou aqui. Ainda no supermercado, há um ano e onze meses exatamente. As pessoas andam por aqui, ou seja, são profissionais neste lugar… E me parece que andam tão infelizes e melancólicas. E isso me afeta; não sei porque, mas me afeta. Uma coisa que eu sempre digo que gosto é trabalhar com pessoas… Não me “interessam” animais, não me “importo” com coisas. Mas Deus colocou em meu coração um interesse especial por corações humanos.
Amor do meu futuro, e, então eu penso em ti… Em te contar sobre as pessoas. Em te contar a respeito daquelas que nos fazem bem e daquelas que nos fazem mudar, sim, falo daquelas que pronunciam palavras amargas e que dão bofetadas em nosso coração. Daquelas que tiram nosso sorriso instantâneo… Daquelas que nos dizem “não”. Daquelas que não riem e não entendem nossas brincadeiras. Mas eu quero te dizer que eu as compreendo, porque eu tenho um momento e elas têm o delas. Porque eu sorrio. E se me fizerem chorar eu choro. E depois passa a dor. Passa a raiva. Passa a tristeza. Porque em Cristo tudo é alegria. Eu, por ventura, já não pronunciei palavras incompreensíveis e lamentáveis segundo a concepção do outro? Claro que sim. Muitas vezes até.
Tem dias nublados, chuviscosos… Frios. E tudo é dor. E essa dor atinge ao outro. Mas, meu querido, eu não estou frustrada. Não, não vivo momento de frustação. Vivo, hoje, mudanças. Entendo que quando alguém não entende minhas brincadeiras é porque está na hora de eu mudar… Não digo parar de sorrir, falo em falar menos.
Amorzinho, quero tanto te encontrar… Queria que me oferecesses tua mão e me oferecesses tua companhia pela estrada da vida. Porque eu não vejo a hora de te encontrar e que tu me reconheças como um presente de Deus na tua jornada nesta terra. É, pois é, a terra é tão arenosa, pantanosa, tão seca, quente e fria ao mesmo tempo. Tão cheia de coisinhas… Que só nos fazem pensar no Céu. Um dia eu estou cansada, outro dia também. Um dia eu não faço nada. No outro tanto que não sei como.
E tu, meu amor? Quero saber de ti! Diga-me algo, por favor. Compreenda minha agonia. Compreenda minha espera. Eu sei que Deus sabe do desejo do meu coração. Como queria que Deus nos apresentasse um ao outro no dia de amanhã. Mas, em meu coração, há uma coisa que diz ainda faltar um tempinho para eu ver teus olhos nos meus. Queria dizer para ti, que, ainda que eu não possa te contar sobre as pessoas que cruzam meu caminho, eu vou conversar contigo. Vou falar de minhas experiências nas cartas que, quem sabe, um dia tu lerás. Deus também sabe inspirar pessoas… Marcar pessoas. Quem sabe se tu também não escreves para mim? Imagina, que lindo seria!
Oh, a ti… A ti espero. Por ti oro. Como quero ver a glória e a graça do nosso bondoso Deus a nos envolver. E ele movimenta as águas. E Cristo também acalma as águas. A terra também é bonita. Os sorrisos são mais. Mas a perdição é tanta! Vamos caminhar pela vinha e colher frutos para o nosso Amado? Vamos falar do AMOR de Jesus? Quero falar de esperança. E que tu fales de paz! Quero falar de alegria. E se tu falares da salvação da cruz? Que Cristo viva em mim. Viva em ti! Que nós vivamos nele. “A ele glória, pois, eternamente. Amém”!
Tua futura companheira nas aflições de Cristo Jesus, Catarina.
Curitiba, 27/08/2019.

Crendo contra a esperança

Madrugada calorenta em pleno maio e eu aqui com minhas dores… Esta, pretendo que seja assim, é mais uma carta para ti, meu amor. Embora todos os meus sonhos tenham estado tão distantes de mim ultimamente, mesmo este de te ter em minha vida, eu quero escrever para ti. É como se estivesses a uma distância intransponível por mim.
Sinto que os anos vão pesando sobre minhas costas… Vejo-me envelhecida, marcada, entristecida, esvaziada… Parece que me foi roubada a juventude e o vigor que eu tinha há pouco tempo. Porque eu era tão inocente em pensar que tudo que eu quisesse se cumpriria como e quando eu quisesse. Mas a vontade de Deus é soberana. E eu desejei coisas que não eram planos dele. E eu me sinto tão boba… E fico a pensar: o que Deus pensa de mim por ter desejado tão tolamente o que não era do seu querer? O que não era de paz e verdade?
Meu querido futuro companheiro, quando penso em mim, em ti, em nós eu tenho me sentido desesperançada… Eu penso, quase trinta. Ainda não aconteceu, estarei mais gordinha, terei mais sinais e manchas na pele… Nunca fui a mais bela. Quem olhará para mim? Haverá alguém realmente? Quem? Quando? Antes queria tanto ter filhos! Hoje esta possibilidade parece muito distante. O medo me cerca. Como suportaria um parto? Parece tudo isso a milhares de anos luz de distância da minha vida. Não quero morrer jovem. Quero e necessito viver muito além do que já vivi. Quero ver Jesus fazer coisas muito bonitas no meu viver.
Amor meu, ainda nem fiz nada. Não preguei nada. Não cantei nada. Não adorei nada. Sorri algumas vezes. Mas hoje, após tanto choro, sinto-me apática e indiferente. Não deveria ser assim. Deveria estar profundamente sedenta e faminta de Deus. E tu, como tens estado? Bem? Realizado? Grato? Contente? Ainda sonhas comigo? Tu, todavia, oras por mim? Pensas em mim, em conjunto com os planos de Deus para a tua vida? Meu bem, me perdoa por não crer tanto como deveria. Sou fraca. Venha me dar a mão. Quero que me ensines mais sobre Jesus. E eu vou te ouvir… Porque minha alma anela tanto pela presença de Deus. E eu sei que tu virás em companhia do Senhor para se juntar à minha vida.
E eu também quero ser na tua vida benção do Senhor. Quero ter a luz de Deus na minha vida, para que quando estiveres em momentos de aperto eu te ajude a seguir firme com Cristo. Quero ter a ti. E quero que tenhas a mim. Quero que sejas de Jesus. E eu também serei mais do Amado do que jamais fui.
Para ti, amor meu… Tua amada Catarina… Mesmo fraca, crendo contra a esperança. Porque Deus chama as coisas que não são como já sendo. 😘😍🌼🌻🕊💍👑💌💕
02:34 de 07 de maio de 2019

Dor existencial x esperança de amor

Meu amor… Esta é uma carta para ti. Mas quero te dizer: nunca me senti tão longe de ti como me sinto agora. Tenho dor no peito, uma garganta ardida e muito cansaço. Eu precisaria de uma eternidade para descansar. Meu amor, eu só penso em descanso. Nunca vi a dor de existir tão de perto como tenho visto nos meus últimos anos.
Amor meu… Meu amor inexistente, onde tu estás? Virás a tempo de encontrar meu céu ainda estrelado? Ou me encontrarás quando já não existir sonhos no meu coração? Ah, minha alma, quanta luta! Será que me verás quando eu estiver destroçada e ferida no meio de uma batalha? Sinto-me inexistente. É como se eu estivesse no meio de um buraco, sozinha, com frio… Eu olho e vejo as pessoas, mas quem se dá conta da minha existência?
Oh, querido meu! Diga-me: por onde devo ir para que nossos caminhos se cruzem? Quando nossos passos nos levarão ao mesmo lugar? Vinte e sete anos… Logo eu que achei que aos dezesseis eu estaria namorando… Que dizia nas brincadeiras que me casaria aos vinte… Eu que sempre sonhei com o impossível. Mas eu sou esta, invisível. Que só amei às escondidas e que nunca fui amada. Sou esta jovem solitária e engraçada, que escreve para um cara desconhecido. Quem és tu? Quem sou eu?
Coraçãozinho… Eu, todavia, não desisti de ti. Vou lutar mais um pouquinho por nós. Vou pedir a Deus que torne nosso amor real. Mas, confesso-te, às vezes a luz da esperança fica acessa só por uma tênue faísca no meu coração. Aí acontecem coisas… E Deus acende um sol de esperança na minha alma. Venha. Eu te convido: venha festejar comigo o amor. O amor maior de Jesus por nós e em nós. Eu quero ouvir o tum-tum do teu coração… Quero sentir a mistura do nosso calor. Ah, que desejo bobo: caminhar de mãos dadas contigo! Quero sorrir para ti! E ouvir o teu riso acalmando minha vida. Que alegria será receber esta benção dos Céus! Tu e eu; eu e tu. Ele e nós; nós e ele.
Deus sabe de tudo… Só que sou boba e fico aqui fazendo as contas… Tenho quase trinta… Será que vai ser antes de terminar a casa dos vinte? Ele tem que idade? Será que não é brasileiro? Bom, perguntas. Deus tem a resposta exata. E ele me responderá ao final da prova.

Amorzito mio! Até breve. Sinto que nos amaremos muito, e logo.

Tua futura amada, Catarina. 😍😘
03:10 de 11.11.18

Coração esperançoso…

Olá! Tudo bem?

Bom… Estou aqui mais de um ano após meu último post, e nesse tempo tudo e nada já aconteceu.

Nesses dias atuais a Copa do Mundo já está acontecendo no Brasil, algumas seleções já foram eliminadas, como a inesperada Espanha, a Inglaterra… Muitos protestos já aconteceram no país, muita coisa louca já se passou. Fatos inesperados, surpresas ou até mesmo o previsível.

Mas, quero falar de mim, do meu coração esperançoso e às vezes iludido, cansado e impetuoso. 

Durante esse meu tempo de ausência aqui eu estava em algum lugar pensando e escrevendo sobre mim, sobre a vida… Talvez um pouco preguiçosa e sem graça. Quando releio o que escrevo sobre mim e sobre o que se passa ao meu redor às vezes eu acho graça, outras eu me decepciono comigo mesma, me amo ou me “detesto”. 

Há poucos dias eu estava olhando uns CDs meus com arquivos e fotos, então, eu vi um texto em que escrevi dizendo que “se um dia eu me casar quero ter de 3 a 4 filhos”, entre outras coisas nas quais constatei já ter mudado de pensamento e outras que me fazem acreditar mais ainda em alguns sonhos meus, porque já se passaram cinco anos desde que tinha aquelas ideias.

Mas estou contando tudo isso porque pensei nos meus dias atuais, dias de lutas, dias de esperanças e ao mesmo tempo de fraquezas.  Dias, precisamente, de sonhos de amor. 

Sonho com formar uma família… Com um esposo, com filhos. Vivo imaginando momentos que tão pouco sei se um dia se materializarão… Imagino sorrisos, abraços, carinho, companheirismo e muito amor… Consigo ver até momentos de reconciliação, de perdão, de diferenças e muitíssimo amor. Sonho com momentos no parque, no mar, nas montanhas… Com brincadeiras e afagos sem fim. Sorrio ao ouvir chorinhos e gargalhadas infantis… Fico contente ao ver o sorriso de pai pra filho, de esposa pra esposo, de filho pra mãe… Fico sonhando ao imaginar quão bonito pode ser a amizade dos irmãos. Porém, para que tudo isso seja real é preciso oração. Fé e ação. Só que às vezes perece que fico sem saída, sem saber pra que lado seguir… Tudo o que é certo é seguir a vontade de Deus e tudo dará certo. Apenas em escutar canções de amor eu já desejo amar e ser amada. Eu vejo os pequeninhos e sinto a imensa vontade de ser mãe apertar o meu coração. 

E esse homem com o qual eu sonho onde está? Ele também sonha assim como eu? Ele tem o sonho de casar-se e de ser pai? E de quantos filhos? Três ou quatro como eu? E sua família… É grande como a minha, de muitos irmãos? Ou ele não é nada do que imagino? Ele é de onde? Vive aonde? Que línguas fala? Quais seriam as paixões da sua vida? Ele pede a Deus por mim, por nós, por nossa futura família? E ele? Me imagina, ou pensa em uma mulher muito diferente do que sou? Será que imagina ele que eu estou ansiosa por conhecê-lo e que sonho em ser-lhe companheira e dama do resto da vida? Sabe ele que quero dar-lhe alegrias, conforto e amor?

Não sei… Esperarei, sonharei e no momento certo agirei para encontrar o homem ideal para vivermos juntos por amor a Deus. Esperarei na vontade do Senhor. Na sua força, na sua fidelidade e no seu infinito e inigualável AMOR.